NÉNEM DO USA 94 JOGA ACTUALMENTE EM PORTUGAL


1994 marcou o mundo desportivo brasileiro pela positiva, e pela negativa. Em Maio, "o rei da chuva", Ayrton Senna, tri campeão mundial de formula 1, perdia a vida em Itália, no grande prémio de Imola.
Um mês depois, tinha início a competição futebolística mais aguardada do mundo, na altura, organizada pelos Estados Unidos da América, uma nação apaixonada por desporto, mas pouco familiarizada com o futebol.
Os canarinhos, tri campeões mundiais, tiveram uma fase de apuramento atribulada, o capitão Ricardo Rocha, deu o mote em Recife, sua terra natal, para o que viria depois.
Um dos grandes momentos desta copa do mundo, aconteceu no dia 9 de Julho de 1994. O Brasil defrontou a Holanda nos quartos de final jogados no Cotton Bowl, num jogo impróprio para cardíacos. Aos 64 minutos, Bebeto driblou Ed de Goey, e apontou o segundo golo brasileiro na partida. Na hora de comemorar, nasceu o famoso "embalo do neném", uma forma de festejar o beijo da bola na rede, que veio para ficar.
Filho de tetra campeão mundial goleador, Mattheus Oliveira nasceu dois dias antes do embalo futebolístico mais famoso do mundo, "patenteado" pelo pai Bebeto. Hoje com 20 anos, o médio centro ofensivo formando no Flamengo, chegou esta temporada a Portugal na reabertura do mercado por empréstimo dos rubro negros, para reforçar o Grupo Desportivo Estoril Praia.
Jogador inteligente de processos simples, alinhava no Flamengo, Campeão Carioca de 2014, na posição de meia esquerda (médio interior esquerdo).



Rui Cardoso




Ler mais

FUTSAL - QUARTOS DE FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL


Estão definidos os encontros dos quartos de final da Taça de Portugal em futsal, faltando aos gaienses do Mádicus de Sandim, saber quem será o seu adversário, que vai sair do encontro entre Operário e Belenenses dos oitavos de final. Dia 29 de Março, os amantes do futsal vão ficar a conhecer os quatro semi finalistas da edição 2014/15.
40 minutos para fazer história, como aconteceu na temporada passada com o Arsenal de Parada. No ano de extinção do Campeonato Nacional da III Divisão, os maiatos bateram por 5-3 o Leões de Porto Salvo, num final de tarde magnífico, no Pavilhão do Formigueiro III, na Cidade da Maia.

Encontros dos Quartos de Final

Burinhosa (Liga SZ) vs AD Fundão (Liga SZ)
Sporting CP (Liga SZ) vs Rio Ave (Liga SZ)
Módicus (Liga SZ) vs Operário/ou Belenenses
CD Fátima (II Divisão) vs SL Benfica (Liga SZ)


Rui Cardoso
Ler mais

CNS - JOEANO REFORÇA ANADIA FUTEBOL CLUBE

Joeano, ponta de lança que se notabilizou em Portugal em clubes como, Académica de Coimbra, Vitória de Setúbal, Arouca e Rio Ave, assinou pelo FC Anadia, 3º classificado da série G de manutenção, do Campeonato Nacional de Seniores.
Juntamente com o goleador brasileiro, melhor marcador da Segunda Liga ao serviço do Arouca, 24 golos em 2012/13, chegam ao emblema da Bairrada, o médio coreano Jo (ex. Khan Dong), e Serrão, médio ala esquerdo (ex. Académica B).


Rui Cardoso








Ler mais

CNS - ANTÓNIO ROCHA É O SUCESSOR DE CALICA NO SC ESPINHO

antonio_rocha

Bernardo Gomes de Almeida, presidente do Sporting Clube de Espinho, escolheu um treinador com mística, para suceder a Calica, e liderar os destinos do clube, no que resta da presente temporada.
António Rocha, "Rochinha" nos tempos de jogador, é o novo líder do 6º classificado da série C de manutenção, 11 pontos, do Campeonato Nacional de Seniores.
"Rochinha" é natural de Espinho, fez a sua formação futebolística nos tigres da costa verde, subiu a sénior na época 1993/94, e terminou a carreira no clube da sua cidade em 2004/05.
O novo técnico espinhense, estreia-se este domingo, frente ao FC Pedras Rubras.


Rui Cardoso  
Ler mais

FUTEBOL SOLIDÁRIO - SC SALGUEIROS E FC PORTO BOAS MEMÓRIAS E BOAS CAUSAS


O futebol e a solidariedade, vão dar as mãos este sábado, em Baião. As velhas guardas de Sport Comércio e Salgueiros, e Futebol Clube do Porto, reeditam um derby que deixou muitas saudades ao futebol português, e à cidade invicta.
Nomes como Fernando Nelson, Renato, Zoran, Jorginho, Tulipa e Pedro Reis do lado salgueirista, e Semedo, Gabriel, Secretário, Coelho e Rui Correia, em representação dos dragões, associaram-se a esta causa, que irá decorrer no Complexo Desportivo de Pranhô, a partir das 15 horas.
Os bens alimentares angariados no jogo das boas memórias, serão entregues à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens do concelho de Baião. 

Entrada: 1 alimento.

Rui Cardoso




Ler mais

CNS - DIRECÇÃO DOS TIGRES E CALICA CHEGAM A ACORDO PARA A RESCISÃO


A direcção do Sporting Clube de Espinho, anunciou no site oficial do clube, a rescisão por mutuo acordo, com o treinador Carlos Moreira (Calica).
No comunicado, os tigres da costa verde agradecem o empenho de Calica e da sua equipa técnica.
Nas próximas horas, será anunciado o novo comandante, do 6º classificado da fase de manutenção série C, do Campeonato Nacional de Seniores.


Rui Cardoso
Ler mais

CNS - PEDRO ALBERGARIA SEGURA DOIS, UM SAI AO LADO & VIZELA VENCE POR TRÊS


"Imperou e lei de Pedro", este domingo, em Vizela. O guardião do FC Vizela, defendeu duas grandes penalidades, no jogo da terceira jornada da fase de manutenção série B, do Campeonato Nacional de Seniores.
Na recepção à AD Oliveirense, os vizelenses venceram por três bolas a zero. Os homens de Famalicão, desperdiçaram três castigos máximos, caso raro, durante o tempo regulamentar, de uma partida de futebol.


Rui Cardoso



















Ler mais

ANDRÉ ANDRÉ É DRAGÃO PARA OS PRÓXIMOS 4 ANOS

Formado no Varzim Sport Club, ainda no período de formação foi contratado pelos dragões, para o escalão de sub 19. Regressou à Povoa do Varzim, passou pela equipa B do Deportivo La Coruña, e na fase crítica dos poveiros, André André foi um dos bravos que conquistou em 2011/12, o título de campeão nacional da II Divisão Nacional. Rui Vitória, apostou no médio em Guimarães, e esta temporada, o filho do grande capitão do FC Porto, António André, é o melhor marcador português da Liga Nos com 11 golos.
Nos próximas quatro anos, André André será dragão. Contratação solicitada, pelo treinador portista, Julen Lopetegui.




Rui Cardoso
























Ler mais

VOZ DESPORTIVA DA SEMANA - DIOGO GASPAR




Diogo Gaspar, é o fundador de um novo campeonato de futebol amador. A Master League Gaia – Futebol 7.
Na gíria popular, o segredo é a alma do negócio, e esta semana, Diogo Gaspar vai falar-nos um pouco do seu projecto.
Bem-vindo, e obrigado pela sua participação.

Voz Desportiva – Esta organização vai trazer uma nova dinâmica ao futebol amador gaiense?

Diogo Gaspar Em primeiro lugar, gostaria de agradecer-te pelo interesse que demonstraste na realização desta entrevista, e pela promoção da Master League Gaia – Futebol de 7. Em segundo lugar, dizer-te que estás de parabéns pela forma como te entregas à dinamização do site “Voz Desportiva”, e pelas reflexões que fazes em torno do fenómeno futebol, evidenciando o amador. Parabéns!
Relativamente à questão colocada, esperemos que sim, que a Master League Gaia consiga oferecer a todos os amantes e praticantes do futebol, que por qualquer razão não têm oportunidade de serem federados. Ou seja, procuramos dar uma solução prática e eficiente para que não deixem de jogar o seu sagrado futebol semanal. Também procuramos oferecer mais profissionalismo e competitividade, a todos os praticantes do desporto rei, que têm por hábito juntarem-se semanalmente para dar uns toques e, desculpa a expressão, como se diz na gíria do Futebol “matar o bichinho”. Apenas competições como a Master League Gaia, com Liga a contabilizar pontos e Taças a eliminar pode oferecer essa tal competitividade.

VD – Quais foram as principais dificuldades para dar o pontapé inicial num projecto deste género?

DG  Confesso, que inicilemente esperava algumas dificuldades, e que ao longo do tempo de construção do projecto Master League Gaia, o que pensávamos que fossem barreiras, se tornaram fáceis de resolver. No entanto, também o contrário aconteceu, surpreendentemente, o que suponha vamos que nunca fossem adversidades, na verdade, deram-nos muito trabalho de resolve-los. Destaco, por exemplo, o facto da dificuldade em encontrar patrocinadores que nos apoiem com recursos financeiros, uma vez que teremos alguns gastos iniciais, difíceis de suportar. É claramente, um aspecto complexo, uma vez que compreendemos a dificuldade que o país atravessa, no entanto procuramos oferecer a todos os participantes a público, da Master League as melhores condições e destacar-nos pela excelência em tudo o que fazemos. Portanto, aproveito para agradecer a todos os nossos patrocinadores, com ou sem dificuldade,  por nos apoiarem.

VD – Foi complicado arranjar infra estruturas desportivas disponíveis para a realização dos jogos?

DG  Sim, sem dúvida. Esse, é mais um ponto em que inicialmente não fazíamos ideia que fosse uma barreira, e ao decorrer do desenvolver do projecto tornou-se de facto uma dificuldade, uma vez que em Vila Nova de Gaia é escassa a quantidade de recintos desportivos para a prática do Futebol de 7. Ainda mais, se tornou difícil, pelo facto de a maior parte pertencerem a escolas, que rejeitam este tipo de torneios em que o público alvo é superior a 16 anos.  Por isso, aproveitamos desde já, para agradecer ao Colégio de Gaia, e à Urbicoop – Quinta da Bela Vista por nos terem apoiado e disponibilizado os seus excelentes espaços para a Master League Gaia. 

VD – Na sua opinião, em que é que este torneio pode marcar a diferença em relação à concorrência?

DG Como referi anteriormente, para nós apenas fazia sentido criarmos a Master League Gaia, se fosse para conseguirmos oferecer as melhores condições aos nossos participantes, desde o Tipo de Bolas (Nike Strike) às Taças (prémios), sem nunca esquecer o factor mais importante, organização e dedicação. Concluindo Master League é MasterLeague ! (risos)

VD – Ansioso pelo início da competição?

DG Completamente, fomos obrigados a adiar o inicio da competição por questões organizacionais, no entanto, deu-nos mais tempo para preparar melhor, e será um sucesso com certeza. Temos uma excelente equipa a trabalhar para que assim seja, desde o Departamento de Multimédia e Marketing, passando pelos Fotógrafos, Relatadores ao Departamento de Arbitragem.

VD – Para terminar a nossa entrevista, deixe aqui uma mensagem aos amantes do futebol, de forma a comparecerem nos recintos, e quem sabe, futuros participantes da Master League Gaia - Futebol de 7  

DG Apelo veementemente à presença de espectadores nos recintos de jogos. É destes tipo de competições que o futebol amador necessita. Emoção, paixão, pressão. A presença de ambiente por parte dos adeptos torna os jogos muito diferentes. Até para quem veja um jogo como adepto neutro, certamente se sentirá entusiasmado com a envolvência.  Imaginem-se como jogadores e sintam a “motivação”, com os recintos vazios ou cheios. Muito se fala da falta de adeptos no futebol português, mas pouco se se faz para mudar isso. Este exemplo (como alguns outros) mostra que é possível encher estádios no contexto certo. O futebol é uma questão de liderança, dentro e fora de campo, onde rivais devem tornar-se bons amigos, e este é o um dos nossos objectivos principais, promover e incentivar o desportivismo e amizade entre as equipas participantes. Portanto, sigam o espírito do 'fair play', e  transmitam um bom exemplo para dentro de campo. O Futebol e o desportivismo, é o que reina no Futebol em geral, e na Master League em particular!


info

-Site: www.masterleaguegaia.leaguerepublic.com
-E-mail: MasterLeague.vngaia@gmail.com
-Twitter: @masterleagueVNG
-Contacto: 917 816 588 / 936 036 555



Rui Cardoso
Ler mais

CNS SUBIDA ZONA NORTE - SALGUEIROS 0-0 AD FAFE



SALGUEIRISTAS E FAFENSES, proporcionaram esta tarde no Padrão da Légua, um bom espectáculo de futebol, no encontro da 3ª Jornada Subida Zona Norte, do Campeonato Nacional de Seniores.
Apesar das condições climatéricas não serem as melhores, ambas as formações entraram em campo para jogar o jogo pelo jogo, e discutir o resultado. Marçal e os postes, negaram a festa do golo aos homens da casa. Casa bem composta, como sempre repleta de alma.
A espaços, o Fafe ia incomodando Pedro Miguel. Carneiro rematou ao poste, depois de partir os rins aos defesas salgueiristas, e Marçal, continuava a brilhar na baliza visitante.
Nada diferente do primeiro tempo, a etapa complementar continuou animada. Gradíssimo quase marcou golo olímpico de canto directo, e na jogada seguinte, acertou no poste. Digas imitou o seu colega de equipa, e mesmo a terminar a partida, Zé Brochado gelou o estádio do padroense ao acertar na trave.
Resultado justo. Boa arbitragem de Ricardo Moreira, da AF Vila Real. 


Melhor em campo

Marçal

São 21 anos, e muita maturidade. O guardião da AD Fafe, realizou uma boa exibição esta tarde. Parou as investidas salgueiristas com muita categoria, e na baliza do "tribunal", não acusou a pressão.
Marçal, é mais um futebolista jovem com muito valor, a jogar no Campeonato Nacional de Seniores.


Imprensa

Paulo Gomes

"Jogo típico de fase final. Estiveram em campo duas grandes equipas. Na minha opinião fomos a melhor equipa em campo, desperdiçamos muitas oportunidades, merecíamos os três pontos.

"Pecamos muito na finalização".

"Os candidatos à subida são o Famalicão e o Varzim. Vamos fazer o melhor possível dentro das condições que temos".

Agostinho Bento

"Foi um jogo muito intenso de domínio repartido, tivemos muitas situações de superioridade numérica, mas não tomamos as melhores decisões na hora da finalização".

"O resultado foi justo, nenhuma das equipas recuou no terreno, procurando a vitória até ao final".

"Vamos lutar pela subida de divisão, esta é a nossa ambição. Não vamos baixar os braços, estamos conscientes das dificuldades, mas enquanto for possível vamos lutar por isso".



Ficha de Jogo

Campeonato Nacional de Seniores Subida Zona Norte

1 de Março de 2015

Estádio do Padroense Futebol Clube, Senhora da Hora, Matosinhos

Árbitro Ricardo Moreira AF Vila Real


Salgueiros 0-0 AD Fafe


Disciplina


Salgueiros

Cartões amarelos

Digas 21 minutos

AD Fafe


Cartões amarelos

Williams 75 minutos
Xavi 85 minutos
Ricardo 90 + 3 minutos

Salgueiros

1 Pedro Miguel
2 Steven
5 Moreira (C)
6 Fábio Lopes
7 Pedro Nova
17 Hélio
20 Mário
25 Fabinho
28 Bruno Graça
70 Digas
77 Areias

Suplentes

99 Diego
4 João Miguel - entrou aos 85 minutos a substituir Fabinho
8 Gazela - entrou aos 76 minutos a substituir Areias
10 Gradíssimo - entrou aos 65 minutos a substituir Fábio Lopes
21 Vítor Fróis
19 Francisco
90 Dani

Treinador

Paulo Gomes


AD Fafe

24 Marçal
3 Ricardo
4 Vasco Cruz
6 André
7 Ferrinho
8 Silvestre
9 Vasco Costa
10 João Nogueira
21 Xavi (C)
25 Carneiro
26 Williams

Suplentes

1 Lopes
2 Digas
14 Fred
16 Miguel
17 Nuninho
19 Sócrates - entrou aos 73 minutos a substituir Vasco Costa
20 Zé Brochado - entrou aos 80 minutos a substituir Williams


Treinador

Agostinho Bento





Rui Cardoso
Ler mais

A VOZ DO DESPORTO REGIONAL POR PAULO BORRALHO

Reportagem

A voz do desporto regional

Todos os fins-de-semana milhares de pessoas ligam o rádio para ouvir os relatos desportivos das suas modalidades desportivas favoritas. Atualmente, a rádio aposta maioritariamente nos relatos de futebol, fazendo apenas breves apontamentos de outras modalidades, sem nunca haver relatos de outras modalidades na rádio. Mas como é trabalhada a narração desportiva a nível regional? As rádios locais conseguem suportar os gastos que um relato desportivo traduz?
É domingo. O famoso dia do fim-de-semana conhecido como o dia desportivo. O dia que reflete a necessidade de imensas pessoas em querer saber os resultados, não só da sua equipa favorita, mas também de todos os adversários diretos desse clube que apoiam. E onde podem as pessoas ficar informadas desses resultados? Através de um órgão de comunicação social. Mas qual é o meio de comunicação mais procurado? Muitos dizem que está acabada, mas a rádio continua a ser um dos meios de comunicação mais procurados pelas pessoas, neste caso, para o conhecimento desportivo, para se informarem com a realidade e atualidade desportiva.
Mas será que a rádio, a nível regional, tem o mesmo impacto que a nível nacional? Questão difícil, mas a comunicação a nível regional implica uma maior proximidade entre o narrador desportivo e o ouvinte, enquanto a nível nacional, o narrador pode estar a transmitir as suas ideias sem ferir suscetibilidades de alguém que lhe é próximo. E qual a relação entre jornalismo e a “arte” de relatar um jogo? A relação pode ser próxima, mas nem só de jornalismo vive a narração desportiva. António Parente, relatador desportivo da Rádio Portalegre, acredita que “para ser um narrador desportivo tem que se ter uma determinada vocação, que depois deve ser aperfeiçoada”, dando como exemplo o seu próprio caso, que não tendo formação em jornalismo, afirma que consegue “preencher essa lacuna com os conhecimentos que adquiri desde da minha infância no futebol regional e nacional.”. Completando a ideia iniciada por António Parente, o freelancer Paulo Barulho, afirma que “o jornalismo é sempre importante para a narração, seja ela de que natureza for”, mas que “se não houver paixão não existe qualidade no jornalismo desportivo.”.

A “arte” de relatar

Não é qualquer um que consegue enveredar na área da narração desportiva. Seja em rádio ou televisão, a voz que conduz um evento desportivo tem de conhecer a realidade da modalidade, as regras da modalidade e, acima de tudo, levar a lição estudada de casa, saber muito sobre as equipas que se defrontam, fazer, literalmente, os trabalhos de casa.
A maioria das pessoas ligadas a esta arte, acredita que o trabalho corre de feição se houver paixão pelo desporto. O relatador desportivo é, cada vez mais, aquela pessoa que tem uma paixão pelo desporto, pela modalidade e não aquela pessoa que tem muita formação e pouca experiência. É como na verdadeira arte, o quadro pintado por uma pessoa com muita formação e pouca prática é menos valorizado que o quadro pintado pelo artista que não teve formação mas que já tem o nome fixado no mundo artístico. No entanto, Paulo Barulho não descarta a formação na área, realçando que “não existe nenhuma formação em que se ensina a fazer relatos de futebol, nasce com a pessoa, é como saber cantar.”. Realmente não existe nenhuma área de formação no ensino superior que se foque completamente na narração desportiva. Paulo Barulho defende a formação, mas, mesmo assim, afirma que “ter praticado desporto em si ajuda mais na paixão que se sente mas o gosto por comunicar ajuda essencialmente no relato.”.
O relato desportivo transmite sentimentos, emoções e muito mais aos ouvintes da rádio. É por isso que as pessoas continuam a dar preferência ao jornalismo desportivo no meio radiofónico, maioritariamente devido à paixão, dedicação e conhecimento apresentado pelo narrador desportivo, pelo relatador.

A atualidade

Atualmente são poucas as rádios locais que apostam no desporto e nos relatos desportivos. Obviamente que o desporto e tudo o que ele envolve tem sempre muita procura pelo público, mas muitas rádios locais não fazem do desporto sua prioridade, quer seja por não terem possibilidades económicas para o sustentar quer seja por não terem ninguém na redação para o fazer. Mas uma afirmação consensual é que o desporto é uma área que pode dar outra notoriedade a uma rádio local.
Cada vez mais, a aposta das rádios locais em desporto recai sobre os chamados freelancers na área da narração desportiva. Paulo Barulho é um desses freelancers. “Os freelancers são uma espécie de enviados especiais”, como afirma Paulo Barulho. A sua função é de, após o contato da rádio, fazer o relato desportivo na sua área de residência,
ou seja, para não ter que pagar deslocações, por muitas vezes longínquas, a rádio local opta por contratar uma pessoa da área de residência do local do evento desportivo. “Por exemplo, para gerir o desporto, uma rádio de Braga não pode pagar a um repórter para ir a Lisboa, Algarve, Açores, por isso recorre-se a um repórter que resida nessa área geográfica.”, como revela o freelancer Paulo Barulho.
O panorama atual da narração desportiva nas rádios locais pode não ser o melhor, mas ainda continua a manter-se de pé, apesar de Paulo Barulho afirmar que “os anos vão passando e podem-se contar pelos dedos as rádios locais que fazem relatos desportivos”, sem haver certezas do porquê da desistência em apostar neste tipo de programas, assim como não se sabe o porquê de nenhuma rádio local decidir aventurar-se nesta área de comunicação mediática. “Uns dizem que é a crise, outros dizem que é falta de vontade” é a revelação de Paulo Barulho, que reflete o que se passa atualmente na narração desportiva a nível local, demonstrando que o interesse pelo desporto é pouco, que não sabem aproveitar todas as suas mais-valias. Exemplo disso é que, segundo o freelancer em relatos desportivos Paulo Barulho, Lisboa, a capital portuguesa, não ter nenhuma rádio local a fazer relatos desportivos.
Comparando com outros tipos de programas, António Parente revela que “os relatos de futebol nas rádios locais têm uma audiência muito acima de quaisquer outros programas”, o que demonstra todas as potencialidades que a narração desportiva, neste caso do futebol, pode ter numa rádio que, neste caso em específico, está localizada no interior de Portugal. O relatador da Rádio Portalegre vai mais longe ao afirmar que “as rádios locais têm muito a ganhar com o futebol e em termos de receitas publicitárias pode ser um excelente mercado.”. No entanto, fica a questão: será que numa rádio local de uma grande cidade haveria tantos ouvintes como numa rádio do interior, como a Rádio Portalegre?
O futebol é rei, mas…
Quando estamos a ouvir o programa de desporto na rádio parece que o desporto apenas se resume ao futebol. Sim, é o desporto-rei. Sim, é o desporto mais praticado em Portugal. Mas como o futebol, há outras modalidades que o público gostaria de saber resultados, ouvir relatos, que fossem debatidas em direto na rádio.
Apesar de haver pouco conhecimento acerca desta matéria, Paulo Barulho revela que “há rádios que fazem relatos de Hóquei em patins, nomeadamente locais”, o que mostra que as rádios não se dedicam apenas ao desporto-rei, ao futebol. O freelancer
admite que é “apologista de que várias modalidades deviam fazer parte da grelha de muitas rádios locais, mas o panorama atual trabalha no desporto para suportar o futebol.”, o que demonstra que as rádios locais apenas apostam no que, supostamente, dá garantias. António Parente, na sequência do que o colega de profissão Paulo Barulho afirmou, revela que, “apesar de nem todas as modalidades se proporcionarem para isso” já fez relatos de “futsal, ciclismo e acho que cheguei a ouvintes pois o feedback foi muito positivo”, lembrando-se “de ouvir relatos de hóquei em patins, que eram espectaculares”, sugerindo ainda que o “Andebol é outra modalidade a explorar.”.
Porque é que o futebol continua a ser a modalidade a ter mais importância na comunicação social? A resposta é mais simples do que se pensa. O futebol é como “pão para a boca” dos órgãos de comunicação social, principalmente em termos de transmissão de jogos ou relatos desportivos. Uma pessoa, na sua maioria, quando não consegue “ir à bola”, das duas uma: ou vai ao café mais próximo e vê o jogo na televisão ou pega na sua “telefonia” e ouve o relato emocionante a ser transmitido por aquela voz vibrante e cativante. Como desporto-rei, o futebol é a modalidade mais procurada e praticada, o que leva a ganhar um maior interesse dentro da população. Como consequência desse interesse, os órgãos de comunicação social ganham muito em termos económicos, maioritariamente com receitas publicitárias.

Publicidade e apoios

Como tem sido usual no jornalismo, a publicidade é um ponto importante na estrutura de um órgão de comunicação social, quer seja local quer seja nacional. Mas aqui falamos de jornalismo regional, mais propriamente de rádios locais, e de como a publicidade afeta a aposta em relatos desportivos.
A publicidade nas rádios locais é um mundo que gera muito dinheiro. Muitas rádios têm um valor de publicidade que não é para todos os bolsos, podendo apenas receber propostas de empresas com outro estatuto. Além desse valor pela publicidade, a rádio tem ainda de encontrar alguém que dê voz ao anúncio, que pode ter de implicar mais um gasto económico. Depois de angariar a publicidade, o difícil é manter o interesse da empresa em continuar a publicitar na rádio. Tudo isto afeta a narração desportiva e a sua qualidade. Quanto menor publicidade houver menos aposta no relato desportivo existe. Mesmo com publicidade, os ganhos podem não ser suficientes para garantir uma aposta segura na narração desportiva, para garantir que as deslocações do responsável sejam pagas.
A nível local é difícil arranjar patrocínios para suportar os gastos que estão associados à narração desportiva. É preciso pagar deslocações, pagar aos relatadores e muito mais. Paulo Barulho afirma que “tinha de haver vários apoios, nomeadamente do pelouro do desporto das entidades camarárias e freguesias locais” assim como “haver forma de o comércio local apoiar publicitariamente para, pelo menos, suportar as despesas de deslocações, mas se não houver dinheiro…é essa a realidade”. É um ponto claro quando se fala de relatos desportivos: o dinheiro. Como no mundo em que vivemos, o dinheiro faz falta para tudo e, focando nos relatos desportivos, o dinheiro que entra de publicidades, apoios camarários e apoios clubísticos é o que sustenta as deslocações e os trabalhos que o narrador desportivo faz, com muito esforço, durante os fins-de-semana.

O futuro

Qual o futuro da narração desportiva nas rádios locais? Acredita-se que, no futuro, as rádios optem pela contratação de freelancers, devido aos elevados custos de deslocações que teriam de pagar aos seus colaboradores. Pelo menos é nisto que se crê, mas a falta de aposta no desporto em rádio pode causar uma mudança maior no futuro, tanto da narração desportiva, como do jornalismo desportivo.
O futuro parece não ser o melhor, mas enquanto houver vontade de fazer mais e melhor, o relato desportivo, a narração desportiva vai continuar a existir. António Parente admite que o seu caso não é exemplo do que deve ser o relato desportivo no futuro, visto que trabalha “por amor e paixão e talvez a maior parte das vezes perca dinheiro com esta paixão”, por isso revela que o seu exemplo não pode ser generalizado. Espera-se que o futuro não seja assim, mas a previsão é de que o relato desportivo possa funcionar apenas pela paixão pelo desporto e pela comunicação e não pela formação nas áreas da comunicação social.
“A poupança, como em tudo, infelizmente, em primeiro lugar.”. Esta declaração de Paulo Barulho apenas revela que as rádios, acima de tudo, vão optar por poupar alguns “trocos” nos programas desportivos ou até mesmo deixar de exibir na sua tabela de programação tais programas, visando a sobrevivência da rádio. Uma forma de contrariar esta tendência é “se houver acordo entre os clubes e as rádios locais”, possibilitando “a deslocação com a equipa”, sendo que “nem todas têm esse acordo.”, como propõe o freelancer Paulo Barulho.
O futuro da narração desportiva parece fixar-se, maioritariamente, pela aposta em freelancers desta área. Deverá apostar-se nas pessoas que são da zona geográfica onde o
clube da região da rádio local. Mesmo sem conhecer o narrador pessoalmente, a aposta fica muito mais barata ao órgão de informação local, que não tem as mesmas possibilidades financeiras que os órgãos de informação nacionais.

A voz do desporto regional

Como proposta inicial para este trabalho tinha previsto usar como tema o desporto e a imprensa regional. Como já tinha esse tema escolhido para outra disciplina, e devido a não me repetir nos dois trabalhos, pedi à Professora Adriana Guimarães que me indicasse um tema dentro do desporto na imprensa regional que fizesse sentido tendo em conta os objetivos da disciplina. Dos temas sugeridos pela Professora, escolhi a narração desportiva nas rádios locais, focando-me principalmente nos relatos desportivos.
O passo seguinte incidiu na escolha de pessoas a entrevistar. Decidi escolher três pessoas ligadas à narração desportiva na imprensa regional: um relatador free-lancer, um relatador de uma só rádio que comente o campeonato da região e um relatador de uma só rádio que segue apenas um clube, o “clube da terra”. A escolha recaiu sobre um relatador da Rádio Portalegre, que posteriormente me indicou um jornalista free-lancer, devido à proximidade e o relatador da Rádio Benedita FM, por ser a rádio da localidade de onde sou natural e por conhecer o órgão de comunicação social.
Ainda neste último passo, concluo que fui vítima da minha própria escolha. A pessoa que pensei ser a de mais pronta resposta não me respondeu às perguntas enviadas. Depois de aceitar responder, enviei as perguntas e nunca me respondeu. Esperei que me respondesse até à última, afirmando sempre que me respondia antes do prazo, o que não se veio a verificar.
Esta foi mesmo a maior dificuldade sentida, o que refletiu no trabalho final. Estava à espera de três fontes de informação e vi-me obrigado a usar apenas duas, o que nos levou a escrever menos do que estava previsto, não cumprindo o limite de caracteres imposto.

Trabalho de: PAULO BORRALHO
Entrevistados: ANTÓNIO PARENTE/RÁDIO PORTALEGRE
PAULO BARULHO/RÁDIO PORTALEGRE/RPS/VD



Ler mais

FUTSAL - SACERDOTES LUSOS VENCEM CLERIGUS CUP


O divino esteve com os párocos portugueses. Na Áustria, a selecção nacional de futsal do clero, conquistou a Clerigus Cup, o Campeonato da Europa de futsal sacerdotal, que contou com a participação de 220 sacerdotes, de 16 países.
Depois de uma fase de grupos imaculada, com três vitórias em três jogos, Portugal eliminou Hungria e Croácia, na caminha para a grande final. Frente à Polónia, os padres lusos venceram por uma bola a zero. António Cunha, padre de Viana do Castelo, foi o autor do golo do título.
No final da partida, os representantes da igreja nacional, dedicaram a vitória a todos os portugueses que vivem em tempo de crise, e ao padre José Miguel Pereira da Apúlia, guarda redes nacional nas edições anteriores, falecido recentemente.



Rui Cardoso
  
Ler mais

CNS - ZÉ LUÍS O ALENTEJANO TRIPEIRO DE FAFE

Chegou ao norte do país com 20 anos, pelas mãos de Francisco Agatão, na altura´, treinador adjunto da equipa técnica de Carlos Manuel no Sport Comércio e Salgueiros.
Depois de duas temporadas ao serviço do clube de Paranhos, seguiu para Fafe por empréstimo, na época 1999/00. O técnico da AD Fafe era Manuel Machado. Zé Luís, regressou ao palco portuense nesse ano, para defrontar o seu Salgueiros, onde foi bem recebido e sempre bem tratado.
A partida era referente aos oitavos de final da Taça de Portugal, e o resultado, foi 1-2 após prolongamento.
Este domingo, Salgueiros e AD Fafe voltam a defrontar-se, na 3ª jornada da Fase de Subida Zona Norte, do Campeonato Nacional de Seniores.
Segundo o próprio, será uma partida de ALMA VS IRMANDADE.
Em perspectiva, um jogo disputado, com a Alma Salgueirista a incentivar os comandados de Paulo Gomes durante os 90 minutos, e o conjunto de Agostinho Bento, motivado pelo triunfo caseiro na recepção ao Cesarense.
Zé Luís, iniciou em 2014/15 a carreira treinador, no Clube Desportivo Salvadense, que milita na II Divisão Distrital série A, da AF Beja, e falou à Voz Desportiva sobre as duas instituições desportivas, desejando a salgueiristas e fafenses, uma excelente tarde de futebol.


Zé Luís

"O Salgueiros e a AD Fefe, foram dois dos clubes, mais importantes da minha carreira futebolística".

"Se falar do Salgueiros é falar em alma, falar da AD Fafe, é falar em irmandade".

"Recordo-me de jogos fora de casa, quando representava a AD Fafe, com 300 ou 400 adeptos a acompanhar-nos".

"Chegar à primeira liga era o meu grande sonho, o Salgueiros abriu-me as portas, tratou-me como se fosse um filho, emociono-me quando falo no meu Salgueiros".

"Actualmente mantenho contacto com pessoas que representaram os dois emblemas na minha época, são pessoas, e clubes que já mais esquecerei".

"Na altura, era tudo diferente a nível de organização. Havia tudo, hoje a crise obriga os clubes a apertar o cinto. O que nunca mudou, foram as pessoas, a sua humildade, e a sua paixão pelos clubes".

"Quando fui emprestado pelo Salgueiros à AD Fafe, os oitavos de final da Taça de Portugal ditaram o reencontro, em Vidal Pinheiro. Lembro-me da minha chegada ao estádio, acarinharam-me, respeitaram-me, e disseram-me que devia estar a jogar pelo Salgueiros. No final do jogo, o mister Vítor Manuel deu-me os parabéns pela minha exibição, e perguntou-me porque é que não estava a jogar no Salgueiros. A minha resposta foi, mister são coisas do futebol".

"Nesse dia foram muitas as emoções, ia defrontar o meu patrão, o estádio estava bem composto, tudo nos correu bem, e passamos a eliminatória".

"Nunca me esqueço do que o Salgueiros fez por mim, nesse dia não tive qualquer sentimento de vingança, a vida de futebolista é mesmo assim, hoje representamos um clube e amanhã outro".

"Não sou um grande conhecedor das duas formações, desejo que seja um bom espectáculo de futebol,  disputado e com muito público entusiasta dos dois clubes".

"Um abraço para os meus ex colegas Renato, Salgueiros, e Agostinho Maia e Primo, AD Fafe".




Rui Cardoso


























Ler mais

NATAÇÃO - NADADOR COM SINDROME DE DOWN BATE RECORDE MUNDIAL

Português com Síndrome de Down bate recorde mundial

Filipe Santos, atleta do FC Ferreiras, bateu este domingo em Vila Franca de Xira, o recorde mundial dos 50 metros mariposa, no Campeonato Nacional de Inverno, em natação adaptada.
A nova marca mundial da distância, é agora de 32,68, na categoria de sub 21. O italiano Paolo Maanauzzi, viu cair os seus 34,00, num dia que teve outro atleta luso em destaque. João Pina, garantiu a presença nos Jogos Paralímpicos de 2016, um feito nunca antes conseguido, por um atleta de natação adaptada.



Rui Cardoso 
Ler mais

CURIOSIDADES DA UEFA YOUTH LEAGUE

SL Benfica e FC Porto apuraram-se para os quartos de final da competição mais jovem da UEFA, ao baterem os respectivos adversários Liverpool e Real Madrid.
Só por aqui poderíamos dizer, que dois gigantes europeus, se viram afastados pelos gigantes lusos.
Mas a maior surpresa terá sido o afastamento do Barcelona, campeão em título, pelo Anderlecht da Bélgica.
Outra das curiosidades é o facto de Benfica e Porto se puderem vir a defrontar nas meias finais da prova, caso vençam Shakhtar e Anderlecht, respectivamente.

Resultados dos oitavos de final:
1-0 | Atlético Madrid - Arsenal
1-1 (1-3 nas grandes penalidades) | Real Madrid - FC Porto
1-1 (5-4 nas grandes penalidades) | Shakthar Donetsk - Olympiakos
1-0 | Anderlecht - Barcelona
2-1 | SL Benfica - Liverpool
1-1 (3-1 nas grandes penalidades) | Manchester City - Schalke 04
0-0 (6-5 nas grandes penalidades) | Ajax - Roma
(hoje às 19h00) | Chelsea - Zenit

Ler mais

TAÇA FUNDAÇÃO INATEL - CASA DO POVO DE CORROIOS VENCE

GF.AZUL OURO- 0  CASA DO POVO DE CORROIOS- 1

TRIUNFO MUITO VALIOSO NO TERRENO DO VICE-CAMPEÃO DISTRITAL DA ÉPOCA TRANSACTA, E QUE PODERÁ SER DETERMINANTE NAS CONTAS FINAIS.

A CASA DO POVO COM ESTA VITÓRIA CONSOLIDA E REFORÇA A SUA POSIÇÃO DE LIDERANÇA NO GRUPO-B DESTA 2ª FASE.

PRÓXIMO ENCONTRO, NO DIA 08-MARÇO PELAS 15H EM CORROIOS, PARA MAIS UM JOGO IMPORTANTE, NA RECEPCÇÃO AO VICE-LÍDER, O CLUBE DE RECREIO E INSTRUÇÃO ( C.R.I. ), DE ALHOS VEDROS.

A equipa da Casa do Povo de Corroios, que assumira a liderança do grupo na última jornada, tinha hoje na sua deslocação ao Campo do Vale da Amoreira, um teste de fogo ás suas reais capacidades, defrontando o GF.Azul Ouro, vice-campeão distrital na época passada; que no seu reduto é sempre uma equipa fortíssima.

Depois a particularidade de se defrontarem as duas únicas equipas que nas últimas seis temporadas, sempre marcarem presença nesta 2ª Fase da Prova; pelo que se previa um duelo intenso e emotivo.

O sorteio desta fase da competição não fôra simpático para  a Casa do Povo, já que lhe colocara nas três primeiras jornadas, duas saídas ao terreno de duas das melhores equipas deste campeonato, e isso obrigaria a cuidados redobrados, porque num grupo tão equilibrado, começar a ganhar ou a perder terreno para os outros concorrentes, poderá condicionar a classificação final.
Assim sendo, e após a obtenção de um empate no campo dos Brejos de Azeitão, esta vitória de hoje sobre o Azul Ouro, tem um sabor muito especial, e poderá significar um importante trampolim, para os jogos que se seguirão, sabendo-se como será cada vez mais difícil, manter e segurar a liderança até final.

O tento da vitória pertenceu a André Rodrigues, que logo aos 28' do encontro, haveria de estabelecer o resultado final, que foi garantido aos 65' quando o guardião visitante Hélder Barreiros, defendeu um castigo máximo e ainda a recarga.

Onze Inicial da CP.Corroios- Hélder Barreiros; Diogo Mareco, Rúben Nabais, Damas(cap) e Artur(Kevin); João Nery, Casimiro e Sílvio(João Pena); Telmo(Paulo Barros), Rui Pereira(Marco Barros) e André Rodrigues(Patrikue).
Diogo Cabecinha (gr) não foi utilizado.

No outro jogo do grupo, o C.R.I. recebeu e venceu no sábado, o GD.Cadoços por 2-0.

Na tabela classificativa, lidera a Casa do Povo de Corroios com 7 pontos, á frente do C.R.I. com 4 pontos, do Azul Ouro com 3 pontos, do Brejos Azeitão com 2 pontos e do Cadoços com 0 pontos.

No próximo sábado dia 28-Fevereiro joga-se a 4ª e penúltima jornada da 1ª Volta, com os jogos C.R.I.- Azul Ouro e Brejos Azeitão - Cadoços

Vítor Santos


Ler mais

MASTERFOOT FUTSAL - JUMBO VITORIOSO


No Futsal os Mariscos Leite venceram o Jumbo num grande jogo

Talhos Mariete “à campeão” está na fase final

Chegando à última jornada da Série Sobreda da 4ª SuperLiga MasterFoot Almada, tudo se decidia no encontro entre os Talhos Mariete e os Pessanhas na luta pelo apuramento para a Liga dos Campeões onde o vencedor da Série – Amigos Airchave – já estava assegurado.
Num jogo para cumprir calendário, a equipa estreante dos Bubadolas terminou em beleza o seu campeonato ao vencer de forma clara os Veteranos que foram para o intervalo a vencer mas não conseguiram suster a capacidade colectiva dos Bubadolas no segundo tempo que num futebol eficaz e de qualidade não deram hipótese aos seus adversários.
Os Amigos Airchave, já campeões, defrontavam o campeão do torneio passado Javali e venceram, também, sem problemas. A um ritmo mais baixo, com ambas as equipas a ter outros objectivos no horizonte, foi um jogo ainda assim bem disputado e com alguns momentos de qualidade. Jorge Joca é que não estava para deixar os seus créditos por mãos alheias e fez mais três golos para a conta pessoal.
No jogo mais aguardado da jornada, o segundo lugar decidia-se entre Pessanhas e Talhos. Até começaram melhor os Pessanhas mas Koki Tavares veio mostrar o porquê de ser um dos melhores jogadores actualmente da MasterFoot.  Num jogo de parada e resposta, os Talhos foram muito superiores na 2ª parte com Koki a completar uma “manita” também com Miki João em grande destaque num hattrick a carimbarem a passagem dos Talhos à Liga dos Campeões que irá decidir o representante de Setúbal na Final Nacional MasterFoot 2015!

1ª Liga de Futsal MasterFoot

No Sábado, a Liga de Futsal MasterFoot teve nova jornada. No primeiro jogo do dia o David dos Pneus conseguiu a primeira vitória na prova ao vencer a equipa do Chocapic. Os estreantes até começaram a vencer com Seinen em destaque mas a remontada deu-se com “Coxo” a fazer hattrick e a carimbar a primeira vitória da sua equipa.
Quem teve de suar para vencer foram os Sem Erros. Os CTT fizeram uma grande primeira parte e só a qualidade individual e a maior frescura física na 2ª parte dos Sem Erros permitiu a vitória à equipa. Num dos jogos mais aguardados até então entre os Galáticos e o Factor Linha deu-se um dos resultados mais desnivelados até então. Os Galáticos demoraram a entrar no jogo e a qualidade do Factor Linha ficou bem evidente ao conseguirem vencer de forma clara em mais um grande jogo de futsal da equipa.
No jogo mais aguardado do dia, o líder Jumbo defrontava os Mariscos Leite ainda só com vitórias. Num jogo de muito respeito mútuo onde os pormenores iam fazer a diferença o destaque vai inteirinho para a exibição de “7 e Meio” que com um poker atirou a sua equipa para uma grande vitória que os cola à liderança da classificação.

Resultados

Futsal


5ª Jornada
Sábado, dia 21 de Fevereiro
Chocapic 3-6 David dos Pneus
Sem Erros 9-5 CTT Almada
Factor Linha 10-2 Galáticos
Mariscos Leite 6-2 Jumbo Almada

14ª Jornada Série Sobreda
Domingo, dia 22 de Fevereiro
Alto do Moinho 0-3 Zézé +9
Veteranos 1-5 Bubadolas
Amigos Airchave 7-3 Javali
Talhos Mariete 9-4 Pessanhas
Ler mais

POLÓNIA: LEGIA RECEBE O AJAX, À PORTA FECHADA


O Legia de Varsóvia foi penalizado pela UEFA, com base em condutas racistas, distúrbios e lançamento de objectos pelos seus adeptos, no encontro da Liga Europa, frente ao Lokeren, em novembro passado, na Bélgica.

O clube polaco ainda apresentou recurso, mas foi rejeitado pelo Comité de Apelo da UEFA, que manteve o castigo de duas partidas à porta fechada, aplicado ao clube.

Assim, o encontro da 2º mão dos 1/16 avos de final, frente ao Ajax, a disputar na próxima 5ª feira em Varsóvia, será disputado à porta fechada.

Já no encontro da 1ª mão, o clube polaco foi impedido pela UEFA, de vender ingressos aos seus adeptos mas apoio foi o que não faltou ao Legia, que acabou por perder por 1-0, golo do jovem polaco Arek Milik, para a formação holandesa.

Caso ultrapasse o Ajax, a formação de Orlando Sá e Hélio Pinto, estará ainda obrigada a disputar um encontro, sem a presença de adeptos no estádio.
Ler mais

LIGA NOS - FC PORTO VENCE DERBY PORTUENSE E NÃO DEIXA FUGIR O LÍDER


PANTERAS E DRAGÕES, 7 ANOS DEPOIS. O FC Porto, visitou o sempre difícil Estádio do Bessa Séc. XXI, com a missão de não deixar fugir o líder Benfica.
Intensidade, muitas disputas de bola, controlo de jogo azul e branco, com o Boavista a procurar jogar no erro dos dragões. Bem posicionado no terreno, o onze de Petit através de Brito, obrigou Fabiano a aplicar-se, numa jogada conduzida pelo lado esquerdo. Em alguns lances de bola parada, os da casa tentaram assustar os azuis e brancos. Fabiano, e a defensiva portista, foram anulando as investidas axadrezadas.
A circulação de bola continuava, mas a profundidade não foi a mesma de outros encontros, devido às ausências de Danilo e Alex Sandro. Pouco esclarecidos na hora da finalização, os dragões acabaram por chegar ao golo a onze minutos dos 90. Primeiro por Jackson Martinez, a concluir uma boa assistência de Tello, e aos 87 minutos por Brahimi, num remate colocado à entrada da área.
Vitória importante do FC Porto na luta pelo primeiro lugar. Os axadrezados, ocupam a 13ª posição da Liga Nos, com 21 pontos.  


Melhor em Campo

Rúben Neves

Tranquilo, esclarecido, sem erro. Rúben Neves, é cada vez mais uma certeza do clube do dragão. Alinhou no lugar de Casemiro, e a sua utilização nessa posição do terreno, é unânime no tribunal portista.
Julen Lopetegui surpreendeu ao coloca-lo no onze na primeira jornada, e o miúdo foi conquistando o seu espaço.
Sobre o relvado do Bessa, voltou a mostrar que tem condições para alinhar mais vezes de início.  

Imprensa

Petit

"Estou orgulhoso dos meus jogadores, bateram-se muito bem, não se inibiram. Estes seis meses tem sido de muito trabalho, tenho um grupo composto por excelentes profissionais, que esta noite o provaram mais uma vez".

Afonso Figueiredo

"Foi um derby bem disputado, e bonito de se jogar. Na minha opinião o empate era o resultado mais justo, mas agora vamos continuar a trabalhar para atingirmos os nossos objectivos".


Julen Lopetegui

"Os jogadores fizeram um bom trabalho, estou muito satisfeito com o seu desempenho".

"Estávamos à espera destas dificuldades, vínhamos de uma jornada europeia intensa, e esta noite, tivemos um jogo de grande carga emocional".

"O terreno de jogo é igual para as duas equipas, a nós compete-nos vencer".

Jackson Martinez

"O Boavista é uma equipa difícil, sabíamos das dificuldades que íamos encontrar".

"A pressão da nossa equipa está no trabalho, dia a dia procuramos melhorar, para sermos melhores que os nossos adversários em todos os jogos".


Ficha de Jogo

Liga Nos

Estádio do Bessa Séc XXI

23 de Fevereiro de 2015

Arbitro Hugo Miguel AF Lisboa

Boavista Futebol Clube 2-0 Futebol Clube do Porto

Golos

Jackson Martinez 79 minutos
Brahimi 87 minutos


Disciplina

Boavista Futebol Clube

Cartões amarelos

Anderson Carvalho 85 minutos
Mandiang 77 minutos


Futebol Clube do Porto

Cartões amarelos

Herrera 72 minutos
Ricardo Quaresma 45 minutos



Boavista Futebol Clube

1 Mika
2 João Dias
22 Carlos Santos
94 Philipe Sampaio
25 Afonso Figueiredo
24 Reuben Gabriel
27 Anderson Carvalho
42 Mandiang
8 Leozinho
70 Zé Manel
7 Brito

Suplentes

29 Ba
4 Fábio Ervões
16 Marek Cech - entrou aos 71 minutos a substituir Reuben Gabriel
55 Bryan Beckles
14 Julen Montenegro
11 Pouga - entrou aos 82 minutos a substituir Anderson Carvalho
75 Uchebo - entrou aos 55 minutos a substituir Leozinho

Treinador

Petit

Futebol Clube do Porto

12 Fabiano
21 Ricardo
4 Maicon
5 Marcano
14 Jose Ângel
36 Rúben Neves
10 Quintero
16 Herrera
7 Quaresma
17 Hêrnani
9 Jackson Martínez

Suplentes

1 Helton
3 Martins Indi
13 Diego Reyes
8 Brahimi - entrou aos 64 minutos a substituir Quintero
15 Evandro - entrou aos 83 minutos a substituir Quaresma
39 Gonçalo Paciência
11 Tello - entrou aos 55 minutos a substituir Hêrnani

Treinador

Julen Lopetegui






Rui Cardoso




Ler mais

CNS SUBIDA ZONA NORTE - SALGUEIROS 2-1 LUSITANO FCV


O Salgueiros venceu esta tarde em casa, o Lusitano FCV, na segunda jornada da Zona Norte de subida, do Campeonato Nacional de Seniores.
A bancada do Estádio do Padroense FC esteve bem composta, e no relvado, os salgueiristas dominaram o encontro, apesar de ao minuto 41, contra a corrente do jogo, o Lusitano se ter adiantado no marcador. Zé Rui cruzou da direita, e no centro da grande área, João Costa não deu hipótese a Pedro Miguel.
Dois minutos depois, Steven assistiu Areias de forma categórica, e o avançado da casa restabeleceu a igualdade. Em cima do intervalo, Zé Rui é excluído do encontro por agressão a um adversário, condicionado a estratégia da sua equipa para o que restava do encontro.
Na segunda parte, o Salgueiros entrou determinado na busca pela vitória. Consumada aos 64 minutos por Areias.
Os visienses nunca deixaram de procurar o empate, encostando o Salgueiros atrás na parte final. Pedro Miguel, negou a Cerveira a ultima oportunidade de golo com uma boa defesa.


Melhor em Campo

Areias

Em Cesar alinhou na posição nove, e na partida desta tarde, voltou a jogar entre os centrais adversários. Bateu-se muito bem, criou espaços e dispôs de algumas oportunidades para marcar.
Foi o goleador de serviço, garantindo ao Salgueiros, os primeiros três pontos na fase de subida norte, do Campeonato Nacional de Seniores.


Imprensa

Paulo Gomes

"Dominamos o jogo. Reagimos bem ao golo sofrido, e a vitória é escassa a nível de resultado, pelas oportunidades que criamos".

Rui Cordeiro

"O jogo foi bem jogado, sabíamos que tínhamos de controlar o ímpeto inicial do Salgueiros. Fizemos o golo num lance feliz, e a expulsão do Zé Rui condicionou o nosso trabalho".

"Fomos obrigados a baixar as nossas linhas, tivemos algumas oportunidades para marcar. Temos de levantar a cabeça, domingo frente ao Varzim, a exigência vai ser grande".

"Se calhar já estamos a incomodar muita gente. Os nossos nossos objectivos já estão atingidos, vamos pensar jogo a jogo, e fazer a melhor classificação possível".


Ficha de Jogo

Domingo, 22 de Fevereiro de 2015

Estádio do Padroense FC, Padrão da Légua

Árbitro Valdemar Maia

Salgueiros 2-1 Lusitano FCV

Golos

João Costa 41 minutos
Areias 43 & 64 minutos

Disciplina

Salgueiros

Cartões amarelos

Hélio 26 minutos
Steven 76 minutos

Lusitano FCV

Cartões amarel

João Costa 21 minutos
Trinta 80 minutos
Calico 90+4 minutos
Cartões vermelhos

Zé Rui 45+2 minutos


Salgueiros

1 Pedro Miguel
2 Steven
5 Moreira (C)
6 Fábio Lopes
7 Pedro Nova
17 Hélio
20 Mário
25 Fabinho
28 Bruno Graça
70 Digas
77 Areias

Suplentes

99 Diego
4 João Miguel - entrou aos 84 minutos a substituir Areias
8 Gazela - entrou aos 65 minutos a substituir Fábio Lopes
10 Gradíssimo - entrou aos 84 minutos a substituir Pedro Nova
21 Vítor Fróis
22 Leo
90 Dani

Treinador

Paulo Gomes

Lusitano FCV

30 Nuno Ricardo
1 Marco Almeida
3 Calico
4 Sérgio
7 Vieirinha
11 João Costa (C)
14 Trinta
18 Zé Rui
26 Hugo Pires
33 Tiago
70 Cerveira

Suplentes

87 Miguel
5 Àlvaro - entrou aos 87 minutos a substituir Trinta
8 Toipa - entrou aos 87 minutos a substituir Cerveira
10 Paulo
16 Moura
98 Amien - entrou aos 70 minutos a substituir Vieirinha
42 João André

Treinador

Rui Cordeiro





Rui Cardoso





















Rui Cardoso
Ler mais

GRANDE ENTREVISTA RPS/VD A RICARDO CRAVO





Ricardo Manuel Pássaro Pinto Cravo, 50 anos de idade, treinador de futebol 11, conhecido no meio futebolístico como « Mister Ricardo Cravo», disponibilizou-se para ser entrevistado pela Web Rádio Ponte Sul/ Voz Desportiva, horas antes do jogo que opunha o seu actual clube, Operário de Lisboa, ao Carcavelos. Encontro a contar para a 18ª Jornada da Série 2, da 1ª Divisão da AF Lisboa.

Com um excelente curriculum
nos distritos de Setúbal, Évora, e Lisboa, passando por camadas jovens do ATLÉTICO CP e G.CCORROIOS,  no escalão sénior, treinou FABRIL DO BARREIRO, COVA DA PIEDADE, ALMADA, PESCADORES DA COSTA DA CAPARICA e o GRUPO SPORT U. MONTEMOR.
Actualmente é o treinador do Operário de Lisboa, mas também abraçou um projecto nas escolas de futebol do BELENENSES.


VD/PONTE SUL - Mister, antes de mais um agradecimento especial por se ter disponibilizado horas antes desse jogo do campeonato de AF Lisboa, á equipa da VD, e começo por o questionar no que toca a diferenças que possam existir ou não, entre o futebol praticado no distrito de Setúbal e Lisboa, com a experiência obviamente que tem desses campeonatos distritais?

RICARDO CRAVO - Existem algumas diferenças, o futebol praticado no distrito de Setúbal é mais técnico ou táctico, em Lisboa é mais um futebol mais físico que acaba por ser mais determinante, mas também existem jogadores a actuar em Lisboa com muitas qualidades técnicas, e a diferença também existe a nível de condições dos clubes; essencialmente no OPERÁRIO DE LISBOA vim encontrar excelentes condições, e que também é bastante cumpridor com as suas respectivas obrigações e não falha com nada, sou muito bem tratado por parte do Presidente Carlos Perdiz na direcção, e no staff técnico no qual destaco o Bruno Bernardo.
Como sabes, Paulo Barulho, nesta época também abracei o projecto nas escolas de futebol do BELENENSES, onde estamos a desenvolver um trabalho extremamente apreciável onde a prioridade é formar jogadores e não ganhar, é nós como formadores tentarmos preparar os jogadores psicologicamente, fisicamente e tecnicamente para virem a ser mais jogadores no futuro.
Em relação á minha equipa de seniores do OPERÁRIO DE LISBOA, estou a ter imensas dificuldades em concretizar os nossos objectivos...

VD/PONTE SUL - Era mesmo essa a minha próxima questão a colocar-lhe; visualizando a classificação actual, 7º classificado, a 1 ponto do 6º classificado da série 2 da 1ª divisão distrital de Lisboa, o que lhe foi pedido pela direcção do OPERÁRIO DE LISBOA neste campeonato?Uma subida de divisão?

RICARDO CRAVO - Não, o que eles me pediram foi ficarmos entre os seis primeiros classificados, para resolvermos logo na 1ª fase, a manutenção neste campeonato, no entanto o plantel levou uma grande transformação e durante esta temporada os objectivos acabam por não ser os mesmos, vamos continuar a trabalhar para ficarmos entre os 6 primeiros e depois fazermos de cada jogo uma final, não vamos dizer que vamos lutar pela subida de divisão, porque existem 2 ou 3 equipas que com orçamento e investimento superior ao nosso.
Tenho um plantel bastante jovem e ambicioso, perdi jogadores fundamentais tais como; o guarda redes que foi para a Finlândia, um central que saiu, e perdi um médio que foi para os Açores, e deixámos de poder contar com o BRITES, avançado jogador experiente que jogou no Leixões, no Felgueiras, etc...um excelente profissional.
E de facto o plantel ficou de certa forma debilitado, bem como algumas lesões e castigos, por isso é que nós estamos a reconstruir uma equipa e penso que estão a ser criadas as condições para que na próxima temporada, o OPERÁRIO DE LISBOA seja um candidato á subida de divisão, com um futuro risonho pela frente na minha óptica.

VD/PONTE SUL - Faço-lhe aqui uma questão, eu sei que não gosta de individualizar atletas, mas neste momento existe um jogador de 38 anos no seu plantel, que tem um enorme curriculum no futsal, nomeadamente o BARATA, como é que analisa a prestação do BARATA, no futebol 11 com 38 anos de idade?

RICARDO CRAVO - Para mim o BARATA é um jovem, é um jogador enorme no futsal, mas para mim é um atleta que trabalha diariamente com muito afinco, como se tivesse 20 anos, extremamente responsável, extremamente ambicioso, e neste momento é um jogador titular na equipa, e sou muito sincero, esteja eu onde estiver na próxima época, gostaria de contar com o BARATA, porque também transmite um enorme espírito de balneário., como outros, tais como o Migas que trouxe do CHARNECA DA CAPARICA, são jogadores como estes que ajudam a entrosar os mais novos no objectivo da equipa.

VD/PONTE SUL - Continuando a não querer individualizar atletas, PEDRO SANCHES, um jogador que está no OPERÁRIO DE LISBOA, até mesmo já nos tempos em que a VD/PONTE SUL, chegou a fazer relatos dos jogos do OPERÁRIO DE LISBOA, não será um jogador com valor acima da média para jogar num campeonato nacional?

RICARDO CRAVO - Sem dúvida que sim, quando o vi jogar e treinar, verifiquei que tinha um jogador que provavelmente já merecia um clube com maiores dimensões, derivado à sua enorme qualidade, não é jogador para jogar nos distritais, mas sim em campeonatos de nível superior.

VD/PONTE SUL - CARLOS PERDIZ, analise-nos o trabalho do presidente, desde que o Mister agarrou neste projecto OPERÁRIO DE LISBOA?

RICARDO CRAVO - O Senhor Presidente CARLOS PERDIZ tem feito um trabalho excepcional ao longo dos anos, como é conhecimento da tua própria pessoa, Paulo Barulho, até porque tens fortes ligações com aquela zona, tem de facto recuperado aos poucos a situação financeira do clube, eu sinto-me bem e sou bem tratado e acarinhado por todos os intervenientes do OPERÁRIO DE LISBOA, e no final da temporada havendo convites ou não, o OPERÁRIO DE LISBOA, terá sempre a primeira e última palavra a dizer.

VD/PONTE SUL - Com as dificuldades que anteriormente descreveu, após saídas de algumas peças influentes no plantel, o plantel transmite-lhe confiança para ficar entre os 6 primeiros da classificação?

RICARDO CRAVO - Sim, sem dúvida, temos tido alguma falta de sorte, é certo, mas estou plenamente convicto nas capacidades dos meus atletas e do OPERÁRIO DE LISBOA nos seus órgãos de soberania.

VD/PONTE SUL - Pegou no comando técnico desta equipa frente mesmo ao seu próximo adversário, na 1ª volta, uma vitória por 1-3 em Carcavelos, como analisa nesta segunda volta o adversário Carcavelos, tendo em conta que este conjunto está numa situação aflitiva da competição?

RICARDO CRAVO - Vai ser um jogo extremamente complicado, difícil, vencemos lá em Carcavelos por 1-3, mas verifiquei que tem uma boa equipa, e que de certa forma a classificação actual deles não reflecte o valor real desta equipa do Carcavelos, vai ser um jogo com as características muito próximas duma final.

VD/PONTE SUL - A nível pessoal e profissional da sua parte, já com títulos de campeão distrital sénior e futebol nacional jovem, é plausível de se poder dizer que o RICARDO CRAVO poderá chegar a um clube nos campeonatos profissionais de futebol?

RICARDO CRAVO - Acho que a ambição nunca deve morrer, ao longo dos anos onde tenho passado, sei e senti que tenho feito bons trabalhos, ajudei a formar atletas que no presente actual são de facto uma referência no futebol ao mais alto nível nacional, tais como LUIS LEAL, MEIRA, RUBEN AMORIM, etc.., e portanto como treinador de futebol, todos eles passaram pelas minhas mãos, e só me permite pensar que continuo a trabalhar muito afincadamente naquilo que adoro fazer, que é ser treinador de futebol, e esperar por convites de clubes com fortes ambições, e analisá-los, sendo que o OPERÁRIO DE LISBOA, tem sempre a primeira palavra, porque repito, fico feliz de ser muito bem recebido neste clube, que é gerido por pessoas sérias e honestas, que acima de tudo é o que se pretende em tudo na vida, como no futebol também.

VD/PONTE SUL - Mister, em nome da equipa da VOZ DESPORTIVA/RÁDIO PONTE SUL, e também em meu nome pessoal, agradeço-lhe por se ter disponibilizado como sempre o fez aos órgãos de comunicação social, e em nome de nós todos, felicidades para si a nível de vida particular e profissional também, e porque não dizê-lo também, para o OPERÁRIO DE LISBOA também.

RICARDO CRAVO - É um prazer sempre falar com vocês VD/PONTE SUL, a ti também Paulo Barulho, porque és acima de tudo um enorme comunicador, a nível de futebol na rádio, futebol nacional, distrital, etc..., vocês VD/PONTE SUL , estão sempre no meu coração, e aquilo que possa ser feito da minha parte, quero que saibam que podem sempre contar comigo.

Esta entrevista é da responsabilidade da VOZ DESPORTIVA e RÁDIO PONTE SUL:

Entrevistado: RICARDO CRAVO(Treinador de futebol 11)
Jornalista Entrevistador: PAULO BARULHO
Coordenação e Chefia: JOAQUIM CUNHA
Edição: RUI CARDOSO
Impressão on line: NELSON SOARES

Ler mais

Minicaster Radio Playhead

To listen you must install Flash Player. Visit Draftlight Networks for more info.